sábado, 10 de abril de 2010

The way you look tonight

O que eu sou senão um amontoado de mim mesmo.
Pra onde vou se não sei de onde parti.
Só sei que me decomponho diante de minhas esperanças, naufragando num mar de incertezas e preso dentro da minha alma.
Não nutro expectativa por nada. Nunca nutri.
Não sou nada além de mim mesmo. Só.
Bastasse isso, não seria uma incógnita, um pensamento efêmero, um nada esquecido.

Nessa multidão que é minha cabeça,
Quando penso em você me tranquilizo.
Parece que é único lugar nesses dias onde eu posso me refugiar.
E ali me sinto bem.
É o único lugar onde me sinto homem.

Diante desse mar de rancor e traição,
De tanto ego destroçado,
Fujo pra tua lembrança e lá me escondo. Espero a chuva passar.
É tanta responsabilidade que eu não queria ter, é tanta frustração que eu não quero mais.
Há anos não me sentia assim: apaixonado. Por uma ideia, uma lembrança. Algo que eu nem sei se você também se lembra.

Deus, como eu sou tolo! Quando eu poderia imaginar que se lembrasse, não há o que se lembrar. Sou só uma fumaça, nada mais.

Minhas ideias se confundem agora. Tenho que acordar amanhã e encarar a vida.
Mas que vida? Sobrevida.
O mesmo de sempre, servir a algo sem futuro, sem liberdade, sozinho. E botar um sorriso na cara.
O que eu mais queria eu nunca vou ter. Uma lembrança novamente, e eu me agarro a ela pra me manter em paz.