quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Futebol

Dias atrás preparava uma apresentação para uma aula sobre jornalismo esportivo, quando me deparei com frases ditas por jogadores de futebol, no calor dos intervalos de jogos ou ao término deles. Publico aqui algumas dessas frases memoráveis, também em homenagem ao meu grande amigo Djalma Cola, repórter esportivo, que não fica atrás quando negócio é criar frases bombásticas.

Divirtam-se!

“EU PEGUEI A BOLA O MEIO DE CAMPO E FUI FONDO, FUI FONDO, FUI FONDO E CHUTEI PRO GOL”. (Jardel, ex- jogador do Vasco e Grêmio, ao relatar ao repórter o gol que tinha feito)
 
"A BOLA IA INDO, INDO, INDO.. E IU !!!" (Paulo Nunes, comentando um gol que marcou quando jogava no Palmeiras)

“TENHO O MAIOR ORGULHO DE JOGAR NA TERRA ONDE CRISTO NASCEU”. (Claudiomiro, ex-meia do Inter de Porto Alegre, ao chegar em Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu, pelo Brasileirão de 72)

“NEM QUE EU TIVESSE DOIS PULMÕES EU ALCANÇAVA AQUELA BOLA”.
(Bradock, amigo de Romário, reclamando de um passe longo)

“NO MÉXICO QUE É BOM. LÁ, A GENTE RECEBE SEMANALMENTE DE 15 EM 15 DIAS”. (Ferreira, ex-ponta esquerda do Santos)

“QUANDO O JOGO ESTÁ A MIL, MINHA NAFTALINA SOBE”. (novamente Jardel, ex-atacante do Vasco, Grêmio)

“CLÁSSICO É CLÁSSICO E VICE-VERSA”. (mais uma do Jardel)

“MEU CLUBE ESTAVA À BEIRA DO PRECIPÍCIO, MAS TOMOU A DECISÃO CORRETA E DEU UM PASSO À FRENTE”. (João Pinto, jogador do Benfica de Portugal)

“A MOTO EU VOU VENDER E O RÁDIO EU VOU DAR PARA MINHA AVÓ”.
(Biro Biro, ex-jogador do Corinthians, ao responder a um repórter o que iria fazer com o “Motoradio” que ganhou como melhor jogador da partida)

“EU DISCONCORDO COM O QUE VOCÊ DISSE”. (Vladimir, ex-meia do Corinthians, em uma entrevista à Rádio Record)

“NA BAHIA É TODO MUNDO MUITO SIMPÁTICO. É UM POVO MUITO HOSPITALAR”. (Zanata, baiano, ex-lateral do Fluminense, ao comentar sobre a hospitalidade do povo baiano)

“JOGADOR TEM QUE SER COMPLETO COMO O PATO, QUE É UM BICHO AQUÁTICO E GRAMÁTICO”. (Vicente Matheus, eterno presidente do Corinthians)

“O DIFÍCIL COMO VOCÊS SABEM, NÃO É FÁCIL”. (Vicente Matheus)

“HAJA O QUE HAJAR, O CORINTHIANS VAI SER CAMPEÃO”. (Vicente Matheus, competindo com o Jardel)

“SE ENTRA NA CHUVA É PRA SE QUEIMAR”. (Vicente Matheus, ganhando a liderança)

“O MAIOR GENERAL DA FRANÇA É O GENERAL ELETRIC”. (Vicente Matheus, ao responder uma pergunta dos franceses que queriam comprar Sócrates)

“O SÓCRATES É INVENDÁVEL, INEGOCIÁVEL E IMPRESTÁVEL”. (Vicente Matheus, ao recusar a oferta dos franceses e ganhando do Jardel)

“NÃO TEM OUTRA, TEMOS QUE JOGAR COM ESSA MESMA”. (Reinaldo, do Atlético, ao responder a pergunta do repórter se ele ia jogar com aquela chuva)

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

O Pálido Ponto Azul

Um vídeo que nos mostra o quão insignificantes nós somos.
Vale a pena ver.



Um tapa na cara, não?

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

"VIVA LA REVOLUCIÓN"


Luiz está na cozinha com um prato de comida na mão e sentando-se a mesa para comer. O prato é um bife com pouca cebola e uma salada.
- Agora eu vou comer esse bifinho para matar a larica....
- Ei. Por favor, não me coma.
Luiz olha para os lados para tentar descobrir quem esta falando com ele.
- Quem falou isso?
- Aqui em baixo, rapaz.
Luiz olha para o prato sem entender muita coisa. O Bife continua a falar.
- Você tem certeza que quer me comer? Olha para a saladinha ai do lado. Ela é muito mais saudável.
Luiz coça a cabeça. O baseado era bom mesmo, a comida esta falando com ele.
- Mas eu estou falando com você!
- Isso é impossível! Você é uma vaca e está morta.
- Negativo, meu chapa. Segundo Lavoisier isso é perfeitamente normal já que na Natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.
- Pois é. Agora você vai se transformar em comida na minha barriga.
- Calma ai. Não vamos ser tão apressados. Eu não tenho direito a um último desejo antes de morrer no seu estômago?
- Olha, meu amigo, eu estou com uma larica desgraçada e não estou a fim de bater papo com o meu rango.
- Eu não sabia que você era tão influenciado pelo Determinismo....
- Dete... o quê?
- Você sabe...Determinismo...a corrente filosófica que diz que o homem é produto do meio, que tudo já esta traçado, que destitui o livre arbítrio....essas coisas...
- Era só que me faltava, uma comida existencialista....
- Sou mesmo. E tenho orgulho disso. Surpreende-me você, um maconheiro que fala tanto de "liberdade para dentro da cabeça" deixar que uma simples larica acabe com o seu livre arbítrio e leve você a cometer um homicídio.
- Pensei que homicídio era usado apenas para um assassinato de um homem por outro homem.
- Então tá, um bifecídio.
- Olha, ninguém decide nada por mim. Eu decido o que devo fazer, quando fazer e como fazer. E agora decidi te comer e pronto.
- Esse é apenas o seu conhecimento "A priori" sobre esse sentimento. Só quando você abandonar esse conceito pré-formatado que você poderá evoluir como homem, como cidadão e como espírito.
- E quem escreveu isso ô sabichão?
- Eu mesmo. Pensei nisso misturando um pouco de Kant com Hagel enquanto pastava em uma fazenda no Paraná. Você já foi ao Paraná? É muito bonito por lá.
- Seu bife intelectual desgraçado, eu vou te mostrar quem manda nessa cozinha.
- Espera! Deus! Você não acredita em Deus?
- O que isso tem haver com o fato de eu te comer ou não?
- Nada. Eu só queria ganhar tempo para te dizer três palavrinhas.
- Quais?
- Câncer, enfarto e colesterol. Você realmente devia parar de comer carne vermelha. Estou te falando, coma a salada!
- Me poupe!
- Não, eu que te imploro, me poupe! Você mataria alguém mais inteligente do que você? Você mataria Einstein?
- Não!
- Newton?
- Não!
- Carmela?
- Quem diabos é Carmela?
- Era o meu nome quando eu era uma vaca. Vamos lá, coma a salada.
Luiz pega o garfo e a faca e coloca em posição de corte na "garganta" do bife: - Engraçadinho. Agora vamos deixar de papo furado. Foi muito bom te conhecer.
- Vai em frente.
- O quê?
- É isso vai em frente. Já sei o que farei depois.
- O que você vai fazer?
- Vou começar uma revolução. Vou influenciar com teorias Iluministas o seu esôfago, seus sucos gástricos, sua flora intestinal e quem mais eu encontrar pela frente. Imagine nós todos de mãos dadas gritando "Liberdade, igualdade e fraternidade" bem na hora que você estiver a sós com a sua namorada.
- Ahhhh, seu desgraçado!
Luiz pega o bife com raiva, abre a lixeira, joga o bife fora, fecha a lixeira.
- Agora você é um exilado político!
Luiz senta de novo na mesa, dá uma garfada em um tomate e quando chega perto da boca, o tomate grita:
- Viva La Revolución!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

SONETO DE SEPARAÇÃO

Vinícius de Morais

De repente do riso fez-se o pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.
De repente da calma fez-se o vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez o drama.
De repente, não mais que de repente
Fez-se de triste o que se fez amante
E de sozinho o que se fez contente
Fez-se do amigo próximo o distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.